segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

5 anos sem Pedro Bloch

"Se a gente tivesse ouvido de ouvir criança, o mundo seria melhor".
"Toda criança nasce gênio. Nós é que as estragamos"

Hoje, faz 5 anos que partiu da Terra, aos 89 anos, o grande médico pediatra e foniatra - especializado nos problemas da voz, fala, linguagem e audição - PEDRO BLOCH. Nascido na Ucrânia, em 05/1914, filho de um comerciante de tecidos, fugindo do regime comunista em companhia de seu primo Adolpho Bloch (fundador da revista e da TV Manchete), o menino chegou ao Brasil em 1922, aos 8 anos e cresceu na Vila Isabel, Rio de Janeiro. Pedro foi escritor de ficção, com mais de 100 livros publicados, a maioria para o público infanto-juvenil. Seu trabalho com crianças levou-o a escrever livros que agradam a pais e filhos. São títulos famosos como "Criança Tem Cada Uma" e "Pai, Me Compra um Amigo?". Foi jornalista, com colunas na revista Manchete e jornal O Globo. Como dramaturgo, seu 1° sucesso foi, em 1950, "As Mãos de Eurídice", monólogo encenado mais de 5.000 vezes por Rodolfo Mayer. Outra de suas peças mais conhecidas foi "Dona Xêpa" (1952), que foi levada ao cinema em 1959 e transformada em novela, em 1977, na Rede Globo, tendo Yara Cortes como a protagonista. Dona Xêpa foi a 1ª novela das 18h baseada numa obra contemporânea. Outra de suas peças - "Lua Cheia de Amor" - também foi adaptada para novela das 19h, estrelada por Marília Pera e Francisco Cuoco, em 1990/91.
Eis dois exemplos escritos por Bloch, fruto de sua experiência na clínica, junto aos pequenos:

01. Uma menina estava conversando com a sua professora.A professora disse que era fisicamente impossível que uma baleia engula um ser humano porque apesar de ser um mamífero muito grande, a sua garganta é muito pequena.
A menina afirmou que Jonas foi engolido por uma baleia. Irritada, a professora repetiu que uma baleia não poderia engolir nenhum ser humano; era fisicamente impossível.
A menina, então disse:- 'Quando eu morrer e for ao céu, vou perguntar a Jonas'.
A professora lhe perguntou:- 'E o que vai acontecer se Jonas tiver ido ao inferno?'
A menina respondeu: - 'Então a senhora que vai lhe perguntar.'

02. Todas as crianças haviam saído na fotografia e a professora estava tentando persuadi-los a comprar uma cópia da foto do grupo.
- Imaginem que bonito serão quando vocês forem grandes e todos disserem: ali está Catarina, a advogada, ou também Este é o Miguel. Agora médico.
Ouviu-se uma vozinha vinda do fundo da sala:
- E ali está a professora. Já morreu.

Clique AQUI e veja alguns livros deste inesquecível dusbons PEDRO BLOCH.

5 comentários:

Poliana disse...

Amei esse texto. Parabéns pela qualidade do blog que sempre leio.

Janio Alcantara disse...

Obrigado pela visita, colega Poliana.

Luiza disse...

Obrigado pelo Blog, pois tive um trabalho de escola, e esse blog me feiz entender um pouco da vida de Pedro Bloch,obrigado denovo vocês me ajudaram muito!! Estou muito agradecida!!
Parabéns, esse blog é um sucesso!!

Janio Alcantara disse...

Olá. Luiza!
Que bom que vc gostou do texto e fico feliz que tenha lhe ajudado.
Nosso atual endereço do DusBons é

Janio Alcantara disse...

http://blogs.opovo.com.br/dusbons/